Engenheiro mostra a versatilidade do bambu

Marcos Marques ministrou palestra na Unidade Florianópolis da UNISUL sobre a arquitetura sustentável e as possibilidades de produção com o material no design.

O bambu utilizado em construções não deve ficar em contato com a água na sua base e as abas do telhado devem ser mais extensas, para proteger o material. Essa foi uma das dicas que o engenheiro Marcos Marques deu em palestra realizada ontem, 16/4, no auditório da Unidade Florianópolis, Rua Dib Mussi.

O engenheiro falou aos presentes sobre a versatilidade do bambu, mostrou diversas formas de utilizá-lo como matéria-prima. “É um material renovável e muito resistente, além de ser rápido e prático na utilização em construções”, explica. De acordo com Marcos, na China o bambu já substitui outros materiais. “É a madeira dos chineses”, relata. “É possível ainda ver a utilização do bambu em construções famosas, como o Taj Mahal, ou em utilizações funcionais, como algumas quadras de basquete da NBA. São diversas as possibilidades”, completa Marcos.

O bambu serve de matéria-prima tanto para a indústria como para materiais mais rústicos e artesanais. Bioconstruções, pisos, instrumentos musicais, pranchas de surf, pontes, utensílios, objetos de arte, cadeiras, foram alguns dos exemplos apresentados aos alunos. “Em todo lugar tem um bambuzal, é fácil de encontrar. Os alunos podem começar fazendo uma cerca, por exemplo. É importante esse contato experimental”, sugere.

Para as alunas Rayssa Lyra e Valéria Correia, ambas da 1ª fase de Arquitetura, a utilização do bambu como matéria-prima foi novidade. “Eu não imaginava que fosse tão resistente e não sabia que era possível utilizar de tantas formas”, afirma Rayssa.

A acadêmica Harue Fukumaru, da 5ª fase de Arquitetura, já conhecia a versatilidade do material. “Tanto pela minha família, que tem origem japonesa, quanto pela oportunidade de conhecer algumas arquiteturas com a utilização do bambu, eu já tinha contato com essa técnica. E com a palestra eu colhi mais informações”, conclui.

Para o professor Sílvio Hickel, das disciplinas de Experimentação em Estruturas e Projeto Arquitetônico, o tema é importante para os alunos. “Nós queremos dar ideias para que os acadêmicos ampliem o horizonte quanto ao uso de materiais alternativos, que podem projetar tão bem ou melhor que os materiais tradicionais”, ressalta.

Estiveram presentes também os professores João Eduardo Di Pietro, Raquel Corbeta e Maria das Graças, todos do curso de Arquitetura e Urbanismo da Unisul. Além do engenheiro Marcos Marques, a palestra teve a colaboração de Hans Kleine e Ari Bheme, ambos integrantes da Associação Catarinense do Bambu (BambuSC).

Veja mais fotos no Flickr da Unisul.

Fonte: UNISUL

Comments are closed.