Encontro de Bambuzeiros

A BambuSC organizará um encontro no dia 28 de setembro, das 19 às 21 horas, no Centro de Ciências Agrárias da UFSC, no auditório do Departamento de Fitotécnia, situado no bairro Itacorubi.

O tema do encontro é sobre cursos recentemente assistidos na China e no Rio de Janeiro por parte de três membros da BambuSC. São eles:

  • Bruna Amante: cadeia produtiva – China
  • Thiago Ornellas: micropropagação – China
  • Marcos Marques: construção com Jörg Stamm – Tibá Rio

Cada um apresentará o seu relato por 20 min e haverá mais 10 min para perguntas. Achamos que esta é uma forma eficiente de compartilhar os conhecimentos adquiridos e de estimular novas participações em cursos realizados em outras partes do mundo.

O evento é grátis então é só chegar!

Reunião BambuSC

Amigos da BambuSC,

Convidamos os interessados a participar da reunião que será realizada no dia 10 de maio (próxima quarta-feira), das 19 às 21 horas, no CCA – Centro de Ciências Agrárias da UFSC. O assunto principal da pauta é a discussão e definição de um novo rumo para a entidade. O encontro será no andar térreo do prédio principal, ao lado da biblioteca. Quem chegar após o horário indicado deve se informar na portaria (situada na entrada do CCA) sobre o local da reunião.

Cordialmente,
Diretoria BambuSC

Simpósio sobre Bambu em Soledade/RS

Não perca a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a cultura do Bambu: o primeiro Simpósio sobre Bambu em Soledade/RS vai contar com palestrantes com muito conhecimento teórico e prático, além de oficinas e troca de informação entre profissionais e interessados.

Mais informações no site: http://www.bambusoledade.com.br/

folder

Curso Gratuito de Cultivo e Manejo de Bambu em Soledade/RS

Amigos do bambu,

A BambuSC tem a satisfação de anunciar mais um curso gratuito de cultivo e manejo de bambu, como parte do Projeto Bambusul, coordenado pela UFSC e financiado pelo CNPq. Ele será realizado na cidade de Soledade/RS, em parceria com a prefeitura local, no dia 30 de abril de 2017, conforme indicado no cartaz abaixo (clique nele para visualizar em maior tamanho) tendo como instrutor o eng. agrônomo Thiago S. Ornellas, doutorando na UFSC e nosso colega na BambuSC.

O curso estará aberto a qualquer interessado e as inscrições (limitadas) devem ser feitas exclusivamente através do telefone (54) 3381 9013, falar com Nery.

Abraços,
Hans
Curso Bambu Soledade

Curso Gratuito de Cultivo e Manejo do Bambu – Seara/SC

Amigos do bambu,

A BambuSC e a UFSC tem a satisfação de convidar os interessados para o próximo curso gratuito sobre o cultivo e manejo de bambu, que será realizado no município de Seara/SC, no dia 21/set/2016. O instrutor do curso será o eng. agrônomo Thiago Ornellas, mestrando em micropropagação de bambu na UFSC.

As vagas estão limitadas em 25 participantes, todas gratuitas e qualquer pessoa poderá se inscrever, independente do seu município ou estado. Por isso, solicitamos que todos ajudem a divulgar o evento e recomendamos aos interessados se inscreverem o quanto antes.

Local: Centro Comunitário de Linha Forquilha – Rodovia SC 283, km 2, Seara/SC
Data: 21 de setembro de 2016 das 9 as 18h.
Inscrições pelo telefone (49) 3452-2204 ou (49) 8427-9145
Vagas: 25, todas gratuitas.

Hans

Curso Seara 2016

Bambu: Nova Fibra ao Sertão Produtivo

Leiam o excelente artigo escrito por Guilherme Korte para o portal de notícias Celulose Online.

Bambu: Nova Fibra ao Sertão Produtivo

Cursos sobre Bambu na EbioBambu – Rio de Janeiro

Cursos de capacitação de profissionais em Bambu, de 12 a 21 de agosto de 2016, na EbioBambu, no Rio de Janeiro.
Clique na foto para abri-la em tamanho maior e ver os detalhes.

Para mais informações nos mande um email para:secretaria@ebiobambu.com.br

CursosEbioBambu

Compra Coletiva de Mudas de Bambu – Pesquisa de Interessados

Caros bambuzeiros,

Quem planta ou pretende plantar bambu sabe que a compra de mudas é uma etapa crítica, que requer planejamento antecipado. Como no país ainda temos poucos fornecedores e também pouca variedade de espécies, o preço das mudas em geral é bastante elevado, semelhante ao de plantas ornamentais, na faixa entre 10 e 50 reais por muda. Um outro fator limitante é o custo do frete, que pode inviabilizar a compra de lotes pequenos, sendo que às vezes o valor do frete poderá ser maior do que o da própria muda.

Uma forma de reduzir o custo, tanto das mudas, quanto do frete, é a organização de uma compra coletiva de mudas, agregando diversos compradores em uma mesma negociação. Recentemente a BambuSC organizou uma primeira compra deste tipo, de apenas duzentas mudas, envolvendo como parceiros a Universidade Federal de Santa Catarina (Florianópolis e Curitibanos) e a Agreco (cooperativa de agricultores orgânicos), como parte das atividades do Projeto Bambusul. Neste caso foram adquiridas duas espécies ótimas para a produção de brotos comestíveis, ambas do gênero Dendrocalamus (D. asper e D. latiflorus) e o fornecedor é de outro estado, exigindo um transporte de longa distância, em torno de 950 km. A compra coletiva permite atingir um lote maior de mudas, com direito a desconto no preço, além do benefício do rateio do frete, que beneficia a todos, inclusive o fornecedor.

Agora a BambuSC se dispõe a organizar uma segunda compra coletiva, e solicita aos eventuais interessados, que enviem os seus dados sobre as espécies a serem compradas e o número de mudas por espécie. A partir destes dados será possível verificar, se a compra coletiva é viável ou não, isto é, o ideal seria atingir um número total de 500 mudas ou mais. O local da entrega das mudas ainda não está definido, mas em princípio seria em Florianópolis, o que significa, que cada interessado deverá assumir o transporte até o seu próprio município. Também fica entendido, que o prazo de entrega ainda não é possível definir agora, mas seria o mais rápido possível. Para algumas espécies existe pronta entrega, enquanto outras precisam ser encomendadas com antecedência de uns seis meses.

Ficamos no aguardo dos seus dados, que devem ser enviados para o e-mail hjkeine@floripa.com.br, até o dia 31 de março.

Abraços, Hans.

Hans J. Kleine
Presidente da BambuSC

Produção de Mudas de Bambu: Oportunidade de Estágio

A Bambu Ka Ha, da cidade de Planalto no Rio Grande do Sul, estão selecionando estudantes das ciências agrárias, ambientais ou afins para estágio na produção de mudas de bambu nos meses de dezembro de 2015 até fevereiro de 2016.  Esta é mais uma oportunidade de conhecer cadeia produtiva da gramínea.

Contatos devem ser feitos com Carlos Ciprandi pelo e-mail cipra@tj.rs.gov.br ou pelo telefone  (55) 9916 3199.

Energia de Biomassa de Bambu

No Brasil existe grande disponibilidade de biomassa, na forma de florestas nativas, muito embora seu uso indiscriminado tenha causado prejuízos ambientais. No século passado foram introduzidas as florestas plantadas, mais produtivas e de qualidade uniforme, que junto com produtos agrícolas como a cana-de-açúcar e diversos resíduos de outras culturas, permitem a sua transformação em cavacos de lenha, carvão vegetal, pellets, briquetes, álcool, biodiesel, entre outros combustíveis de origem vegetal. As florestas plantadas são monoculturas, com destaque para o eucalipto, que ocupa 80% das áreas plantadas, apresenta rápido crescimento e tem bom poder calorífico. O pinus ocupa em torno de 15% e as demais espécies apenas 5%. Na próxima década a área de florestas plantadas deve dobrar de tamanho, passando de 7 para 14 milhões de hectares. Porém, apenas uma parte destas áreas são usadas para fins energéticos, sendo o restante encaminhado para fábricas de celulose e papel, móveis, chapas aglomeradas, bem como para a construção civil.

Uma outra alternativa de biomassa, ainda pouco explorada, é o bambu. O seu uso no Brasil é anterior à vinda dos portugueses em 1500, ficando muito tempo restrito aos povos indígenas, que com ele faziam suas casas, arcos e flechas, cestas, etc. Existem mais de 200 espécies nativas de bambu em nosso país, distribuídas em todos os estados, e em torno de 1.500 no mundo. Uma reserva natural existente na Amazônia é a maior do mundo e abrange em torno de 9 milhões de hectares, no Acre, na Bolívia e no Peru. A introdução de espécies exóticas no Brasil se deu somente a partir de 1814, com a imigração de uma colônia de chineses no Rio de Janeiro, que trouxe duas espécies de bambus tropicais da Ásia, hoje as espécies mais plantadas no país, com foco na produção de papel.  O uso do bambu como biomassa para energia é relativamente recente, ocorrendo principalmente no setor cerâmico, devido à já mencionada redução no uso de lenha de matas nativas.

O bambu é uma gramínea, de crescimento mais rápido do que o eucalipto e pode substituir a madeira em praticamente todos os usos, incluindo a geração de energia, pois o seu poder calorífico e a sua produtividade por hectare são competitivos. Uma outra característica atraente do bambu é a sua capacidade de recuperar áreas degradadas, podendo ser usado com vantagem na revegetação de áreas da mineração, em função de suas raízes superficiais, que ocupam apenas uma fina camada de solo, de até 50 cm de profundidade.

Este é um dos muitos temas sobre biomassa para energia, que serão discutidos no seminário internacional BIO.COMBRASIL, a ser realizado em Florianópolis nos dias 12 e 13 de novembro de 2015. Mais detalhes em http://ibiom.com.br/biocombrasil/ e em www.bambusc.org.br .